Fotografia de Alta Velocidade

Há muito que a fotografia de alta velocidade me embala a alma.

Difícil com muitas tentativas falhadas e resultados inexistentes. Mas nunca desisto de um sonho por mais difícil que possa parecer, se o fizesse todo o pilar basilar da minha vida ruiria e atrás dele o desânimo matar-me-ia. Sonhos são para atingir, nunca para descartar.

Quando me surgiu a oportunidade de perceber a técnica por detrás da imagem não hesitei um segundo.

A sala estava esgotada tamanho o interesse que este tipo de fotografia desperta.

E o que aprendi eu.

-Para fotografia de alta velocidade tem de se usar um Flash externo em modo manual, obturador em modo Bulb e focagem  manual. Iso o mais baixo possível. Trabalhe-se em sala escura.

 Coloque-se o objecto numa mesa, por exemplo a chávena. A maquina montada num tripé. Com um palito no local que se pretende de impacto foque-se. Escolha-se modo BULB, é conveniente ter um controlo remoto caso contrário estamos obrigados a manter o dedo no botão dificultando o resto da operação. A abertura pode ser lida com um fotómetro mas podemos utilizar 5,6 como ponto de partida para ajustes posteriores.

O flash deve estar montado num tripé também e voltado para o ponto de focagem. Deve usar-se 1/ 128 da potência do mesmo. Na verdade e segundo aprendi a potência do flash é sempre a mesma o tempo de disparo é que é menor.

Tudo a postos:

Numa sala escura carreguemos no botão o obturador. A máquina não capta nada apenas escuro. Façamos cair a gota e quase em simultâneo accionemos o flash. A máquina capta este instante de luz. Já estamos a perceber porque se pretende 1/128 da exposição. Ora se a potência é a mesma qualquer que seja a exposição a quantidade de luz é a mesma o que varia é o tempo e este quer-se curto curtíssimo para que não haja tempo para arrasto. O sensor capta o que encontrou com luz.

Uma vez concluído o processo solte-se o botão do obturador.

Porquê Bulb? Não há velocidade de obturador tão rápida quanto a necessária, 35.000 fracções de segundo por isso a única forma de garantir que capta o instante é com ele já preparado.

A dificuldade está em sincronizar a queda da gota, com o clarão do flash. É uma questão de treino.

É claro que também se pode adquirir um controlador de alta velocidade comercializado pela amberpixel, é sucesso garantido, afirma o professor.

Uma aposta para quem se delicia com estes fenómenos.

 

 

Há quem diga que a arte não é para todos. Discordo na totalidade. Temos sim de conhecer as ferramentas e as técnicas já conhecidas para nos podermos projectar mais além .

Maria M.